A utilização dos Equipamentos de Proteção Individual é estabelecida pela Norma Regulamentadora 6 e deve ser seguida com critério para garantir a segurança de todos os trabalhadores da Indústria que estejam sujeitos a riscos, além de preservar a empresa contra multas. Por isso mesmo, a utilização de EPIs é uma das principais estratégias para redução de acidentes de trabalho.

Neste artigo, você vai entender melhor quais são os EPIs indispensáveis para a Indústria e receber dicas para escolher os ideais para as suas necessidades!

Proteção auditiva

O Ministério do Trabalho estipula que 85 decibéis é o limite de exposição a que o trabalhador pode ser submetido em uma expediente de oito horas.

Contudo, o ruído exposto a quem trabalha na Indústria pode ultrapassar muito essa marca. Por isso, a proteção auditiva é indispensável.

É necessário observar alguns pontos antes de definir o protetor ideal para utilizar na sua empresa, conforme veremos a seguir.

Conforto do usuário

O bem-estar do funcionário está diretamente relacionado à produtividade. Algumas pessoas não se adaptam bem aos protetores concha, por exemplo, já que eles cobrem toda a orelha, portanto o mais indicado são os plugs.

Pressão sonora a que o funcionário ficará exposto

Os EPIs auditivos ajudam a minimizar diferentes ruídos, e vão desde o mais simples — abafadores que suportam 10 db —, a modelos que atenuam até 22 db, como o Interlagos e o XLS. Modelos plug podem ser combinados aos abafadores para reforçar a proteção.

Proteção respiratória

A proteção respiratória é importante em diversos cenários. A escolha do modelo ideal precisa considerar as seguintes questões:

Durabilidade

Os protetores respiratórios podem ser descartáveis ou semifaciais, que são reutilizáveis.

Natureza do material com que o trabalhador vai entrar em contato

As máscaras descartáveis também são conhecidas como Peças Faciais Filtrantes, PFF, e são divididas entre:

  • PFF1 (contra poeiras e névoas não tóxicas);
  • PFF2 (contra partículas finas e névoas tóxicas);
  • PFF3 (partículas finíssimas e radionuclídeos).

No caso dos respiradores semifaciais, observam-se os filtros e cartuchos específicos para cada tipo de exposição.

Vestimenta

A proteção corporal precisa ser considerada em todas

Vestimentas para proteção química

Disponíveis em modelos de macacão ou avental, esse tipo de vestimenta protege contra diferentes materiais. Contudo, é preciso examinar a especificação de cada item para identificar a quais agentes ele é resistente, além do tempo de exposição que pode suportar.

Um exemplo é o avental de proteção modelo Barbeiro da Dupont, que protege contra 42 ameaças químicas por até 30 minutos.

Vestimentas em raspa

Esse tipo de vestimenta é elementar para o trabalho com solda. O trabalhador precisa utilizar diversos artigos, como blusão ou avental, mangotes, perneiras, touca árabe, entre outros.

as etapas e processos da Indústria. Esse cuidado precisa ser levado a sério desde a escolha dos uniformes à proteção contra agentes químicos e físicos em trabalhos mais delicados.

Calçados de segurança

A inclusão ou não de biqueira depende do risco do trabalho para os pés — em cenários com possibilidade de queda de objetos pesados, por exemplo, ela é primordial.

No caso de eletricistas, se houver biqueira, ela não pode ser de aço — o ideal é que seja de composite.

Luvas de segurança

As luvas são proteção fundamental contra diversos fatores químicos e físicos e atuam, especialmente, como proteção térmica e química.

Proteção para a cabeça

Os capacetes, em especial, reservam uma série de particularidades. Uma das mais importantes é a classificação: eles podem pertencer à classe A (proibidos para trabalhos que envolvam energia elétrica) e classe B (com isolamento elétrico).

Proteção em altura

A proteção em altura não diz respeito somente à manutenção em prédios. Ela é obrigatória para qualquer atividade executada acima de dois metros de altura com risco de queda. Na Indústria, situações como essa são comuns, como durante a manutenção de maquinário, e exigem proteção completa.

Proteção ocular e facial

Proteção ocular e facial é necessária em diversos ambientes e em várias funções. Ela é obrigatória para trabalhadores que estejam expostos a partículas volantes, radiação — ultravioleta ou infravermelha —, excesso de luminosidade e respingos químicos.

Cremes de proteção

Em geral, cremes e luvas devem ser combinados para máxima segurança. Os cremes de proteção são divididos em três grupos:

  • cremes de proteção à prova d’água: retirados somente com sabão tensoativo, esse produto é indicado especialmente para trabalhadores que lidam com substâncias como gasolina, solventes, derivados de petróleo;
  • cremes resistentes a óleos: esses cremes são facilmente solúveis em água, mas não são lipossolúveis, o que os torna ideais para manipular materiais como graxa, óleos e outros produtos químicos que não contenham água na fórmula;
  • cremes de proteção especiais, como protetor solar, cremes para manuseio de produtos alcalinos e contra agentes biológicos.

Agora que você entende mais sobre os melhores EPIs para Indústria, é o momento de escolher os ideais para a sua empresa!

Crédito: Gaveteiro | Foto: Google